Bem-Vindos. Sentem-se em volta da fogueira, peguem uma xícara de chá e comecemos a aprender os mistérios antigos e a desvendar segredos esquecidos.
Trilhem connosco a floresta sobre o olhar atento da Lua...

Novos artigos serão sempre publicados à segunda-feira e à sexta-feira.




domingo, 15 de maio de 2016

Plantas Medicinais


Desde sempre a Natureza ofereceu-nos um grande leque de plantas recheadas de propriedades medicinais que usadas podem melhorar a nossa saúde e até curar-nos de doenças. Se soubermos aliar essa medicina natural à medicinal convencional (dos médicos e medicamentos) seremos mais saudáveis.

As nossas avós cresceram a usar ervas para fazer cozinhados, xaropes, chás, infusões e muito mais. Até os médicos, antes do aparecimento dos medicamentos, recorriam às plantas e às suas propriedades medicinais para curar os seus pacientes e muitos dos medicamentos actuais extraem propriedades de plantas.

As plantas têm funções importantíssimas: Ajudam a purificar o ar; Servem de alimento ao Homem; Servem para curar doenças e desintoxicar o corpo de substâncias nocivas.

Não devemos, porém, esquecer-nos que apesar de todas as boas propriedades que as plantas nos oferecem, a sua utilização tem, também, efeitos secundários. Determinados cuidados são necessários antes da utilização de Ervas para um determinado propósito. Certas plantas precisam de um x de tempo após serem usadas até serem usadas de novo. Outras podem ser usadas todos os dias sem qualquer risco.

Alguns dos conselhos dados para o uso seguro das plantas medicinais são:
  • Saber a causa do problema que o afecta. Não deseje apenas aliviar os sintomas e sentir-se melhor, tente contactar um médico saber o problema e, após um diálogo com o médico, afirme que prefere optar por ervas ao invés de medicamentos e aí poderá começar;
  • Para que o tratamento com plantas medicinais resulte, é aconselhável que evite o consumo de álcool ou de outros hábitos como tabaco, etc.
  • Evite a auto-medicação inclusive nas plantas medicinais. Para certas doenças, principalmente as graves, seria melhor consultar um médico naturista ou homeopata e ser orientado durante o processo.
  • Usar unicamente plantas bem identificadas, conhecidas e devidamente preparadas. Muito cuidado com isto. Existem plantas extremamente semelhantes e plantas mortíferas, muito cuidado.
  • No caso de sofrer de alguma doença crónica certifique-se que a planta a ser utilizada não tem efeitos secundários ou contra-indicações com que seja preciso ter cuidado.
  • Caso o tratamento seja aplicado numa criança ou numa mulher grávida/que esteja a amamentar, é necessário ter muitíssimo cuidado e estudar com cuidado a erva e ter noção das doses a aplicar. Existem determinadas ervas que não devem ser utilizadas por grávidas pois têm propriedades que podem levar ao aborto ou a problemas na saúde do bebé.

0 comentários:

Enviar um comentário