Bem-Vindos. Sentem-se em volta da fogueira, peguem uma xícara de chá e comecemos a aprender os mistérios antigos e a desvendar segredos esquecidos. Trilhem connosco a floresta sobre o olhar atento da Lua...

Novos artigos serão sempre publicados à quinta-feira.



segunda-feira, 15 de agosto de 2016

A Roda do Ano: Norte, Sul e Mista


A Roda do Ano é o conjunto das celebrações Wiccanas sendo constituída por oito festivais: dois solstícios (Yule e Litha), dois equinócios (Mabon e Ostara) e quatro Sabbats maiores (Samhain, Imbolc, Beltane, Lughnassadh). A Roda do Ano está directamente relacionada com as passagens das estações e, dado que as estações são diferentes do Hemisfério Sul para o Norte, surgiu a necessidade aos praticantes do Hemisfério Sul de adaptarem a Roda do Ano.

Este artigo irá abordar exactamente isso, as diferenças entre a Roda do Ano do Sul, a Roda do Ano do Norte e até a Roda do Ano Mista. Vamos primeiro conceito a conceito.

O que é a Roda do Ano do Norte? A Roda do Ano do Norte é a Roda do Ano original e conta com oito festivais começando em Samhain:

Samhain: 31 de Outubro
Yule: 21/22/23 de Dezembro (Solstício de Inverno)
Imbolc: 1 de Fevereiro
Ostara: 21/22/23 de Março (Equinócio de Primavera)
Beltane: 1 de Maio
Litha: 21/22/23 de Junho (Solstício de Verão)
Lughnassadh: 1 de Agosto
Mabon: 21/22/23 de Setembro (Equinócio de Outono)

Quando chega a Mabon, a Roda recomeça. Esta é a Roda do Ano original e praticada no Hemisfério Norte.

Porém o Equinócio de Primavera não é em Março no Hemisfério Sul, em Março é sim o Equinócio de Outono, o que faz com que não seja pratico estar a celebrar o começo da Primavera e a vinda da vivacidade e da fertilidade quando as folhas estão a cair lá fora. Um dos objectivos da Roda do Ano é, também, sincronizar-nos com a Natureza e com a passagem das estações.
Assim sendo houve a necessidade de adaptar a Roda do Ano para o Hemisfério Sul, tendo nascido a Roda do Ano do Sul:

Samhain: 1 de Maio
Yule: 21/22/23 de Junho (Solstício de Inverno)
Imbolc: 1 de Agosto
Ostara: 21/22/23 de Setembro (Equinócio de Primavera)
Beltane: 31 de Outubro
Litha: 21/22/23 de Dezembro (Solstício de Verão)
Lughnassadh: 1 de Fevereiro
Mabon: 21/22/23 de Março (Equinócio de Outono)

Esta Roda do Ano possui exactamente os mesmos festivais que a Roda do Ano do Norte porém as datas foram alteradas para que coincidam com as alterações da Natureza no Hemisfério Sul. E, tal como a Roda do Ano do Norte, ao chegar a Mabon a Roda volta a começar em Samhain, sem parar.
Este é um dos modelos praticados por vários Wiccanos no Brasil e noutros países que pertençam ao Hemisfério Sul.

Mas existe ainda outra variante da Roda do Ano Sul, em que os Sabbats Maiores mantêm as suas datas originais devido à sua égregora, ficando algo assim:

Samhain: 31 de Outubro
Imbolc: 1 de Fevereiro
Beltane: 1 de Maio
Lughnassadh: 1 de Agosto
e
Yule: 21/22/23 de Junho (Solstício de Inverno)
Ostara: 21/22/23 de Setembro (Equinócio de Primavera)
Litha: 21/22/23 de Dezembro (Solstício de Verão)
Mabon: 21/22/23 de Março (Equinócio de Outono)

Este formato da Roda do Ano pode ser um pouco mais complicado de trabalhar pois estaremos saltando do Equinócio da Primavera em que, na Wicca, o Deus está crescendo para Samhain em que Deus está morto. Porém existem muitos praticantes que, devido às egrégoras associadas aos Sabbats Maiores, preferem manter as datas originais dos festivais maiores e moldar apenas os festivais menores às estações do Hemisfério Sul.

Para além destas datas ainda temos as datas astrológicas de cada Sabbat, aquele momento e que o pico de energia do próprio Sabbat se encontra mais forte, sendo essas as datas (para o Hemisfério Norte):

Samhain: Sol a 15º de Escorpião
Yule: Sol a 0º de Capricórnio
Imbolc: Sol a 15º de Aquário
Ostara: Sol a 0º de Áries/Carneiro
Beltane: Sol a 0º de Touro
Litha: Sol a 0º de Câncer/Caranguejo
Lughnassadh: Sol a 15º de Leão
Mabon: Sol a 0º de Libra/Balança

Existem várias formas de praticar a Roda do Ano e existem defensores de todas elas. Qual você deve usar? Ora a que preferir, achar que se enquadra mais com a sua prática e com o local onde se encontra. Deverá também respeitar as práticas do seu grupo ou coven (caso tenha). A Roda do Ano é o conjunto das principais celebrações wiccanas e é muito importante. Deverá ser sempre vista e tratada com muito respeito e, sempre que possível, cumprida da melhor forma.

Outro conselho que posso dar, principalmente para quem vive em locais que não têm as estações definidas e é solitário (pois quando em grupo deverá sempre respeitar e cumprir as práticas do seu grupo) será a adaptação da Roda e da sua prática para o local de residência. Imaginemos, por exemplo, que na sua cidade não neva. Não fará sentido estar a celebrar, em Imbolc, o derretimento das neves. Mas pode celebrar outros factores do tempo na sua residência como a chuva, o nascer dos rebentos das plantas, etc. Tenha atenção ao tempo e às mudanças naturais do clima e da natureza em seu redor, no local onde mora. Foque-se nessas alterações ao celebrar a sua Roda para garantir que existe uma sincronização entre si e a Natureza. Aproveite ao máximo o que a Natureza lhe dá!

Ao longo da Roda do Ano, aqui no blogue, será sempre publicado um artigo sobre o próprio festival e desenvolvendo o mesmo. O blogue segue a Roda do Ano do Norte, dado estar sediado em Portugal mas pode sempre ir ao menu e seleccionar festivais e encontra todos os artigos relacionados com a Roda do Ano e outras celebrações.

0 comentários:

Enviar um comentário