Bem-Vindos. Sentem-se em volta da fogueira, peguem uma xícara de chá e comecemos a aprender os mistérios antigos e a desvendar segredos esquecidos. Trilhem connosco a floresta sobre o olhar atento da Lua...

Novos artigos serão sempre publicados à quinta-feira.



sexta-feira, 14 de outubro de 2016

Autoconhecimento como Ferramenta do Bruxo


O Bruxo tem ao seu dispor várias ferramentas com as quais pode trabalhar e das quais pode tirar inúmeros benefícios mas, uma das ferramentas mais importantes para o seu trabalho, é o autoconhecimento. Um bom Bruxo deve-se conhecer a si mesmo acima de tudo, entender como ele próprio funciona, o bom e o mau. O trabalho com o que muitos chamam de "Sombra" é essencial, ou seja, o trabalho com o lado mais negro de nós próprios, com aquilo que nós recusamos acreditar ser parte de nós.

O autoconhecimento é o conhecimento de nós próprios, o que somos, o que queremos, o que gostamos, o que acreditamos ou não acreditamos, como funcionamos, como reagimos, etc. E abrange todas as áreas da nossa vida sendo que o autoconhecimento tem benefícios não só na prática da Bruxaria e da Magia mas também no nosso quotidiano. Ajuda-nos a lidar melhor com as situações e também a melhorar o nosso carácter. Se descobrimos que temos um traço muito egocêntrico e que não gostamos, o facto de admitirmos que este traço realmente existe, é já meio caminho andado para o eliminar ou para o "domar", deixando que ele esteja presente apenas nos momentos desejados.

Um Bruxo ou alguém que lide com Magia lida com o controlo das energias. Controla as energias direcionando-as para onde pretende e para a finalidade que é desejada. Mas, pensemos, como podemos nós controlar energias exteriores e não conhecermos as energias dentro de nós e não as soubermos controlar? Um Bruxo que trabalha em impulso não é um Bruxo sensato e poderá vir a arrepender-se de trabalhos feitos. Ou alguém que vive com medo de determinado aspecto poderá estar a impedir-se de estudar e trabalhar com ele apenas por medo não compreendido. Conhecer-nos a nós mesmos permite uma panóplia de soluções para problemas do dia-a-dia e, também, melhorar a nossa prática mágica.

Imaginemos o seguinte caso prático: Um Bruxo, durante os processos de autoconhecimento, começa a verificar que tem um lado bastante egoísta e possessivo. E, ao comparar com as suas relações pessoais anteriores e com as suas atitudes, verifica que esse lado acaba por prejudicar as amizades ou relações amorosas ou até as relações familiares. O facto de se aperceber que esse lado existe e de admitir que ele está lá vai permitir que ele possa tomar medidas preventivas e começar a iniciar o controlo dessa característica.

E, ter controlo de nós mesmos, é outra excelente ferramenta de um Bruxo. Claro que todos temos impulsos, de quando estamos zangados ou tristes, de fazer ritos ou feitiços para determinado propósito mas essa decisão não deve ser tomada de cabeça quente. É necessário ter controlo, pesar os prós e contras e, com todo o conhecimento das consequências e com o devido controlo da situação, tomar a acção desejada. Se formos tomar uma acção sem ter controlo da mesma nem dos nossos sentimentos e sensações apesar de ser poderoso (dada toda a energia crua que entra em jogo) é também perigoso. Perigoso por o que está a ser feito e pela forma como está a ser feito.

O autoconhecimento permite-nos chegar ao autocontrole. E permite também conhecer melhor quem somos e melhorarmos quem queremos ser. Mudar-nos a nós mesmos, através do conhecimento. E esse é também um dos objectivos da Bruxaria. Aliás um dos textos famosos na Internet relacionado com a Bruxaria Moderna é as 13 Metas de uma Bruxa (principalmente associada à prática Wiccana mas pode ser adoptada por outros que assim o desejem):

  1. Conhecer-se a si mesma/o
  2. Conhecer a sua Arte
  3. Aprender
  4. Aplicar o conhecimento com sabedoria
  5. Manter o equilíbrio
  6. Manter as suas palavras em ordem
  7. Manter os seus pensamentos em ordem
  8. Celebrar a vida
  9. Sintonizar-se com os ciclos da Terra
  10. Respirar e comer corretamente
  11. Exercitar o corpo
  12. Meditar
  13. Honrar a Deusa e o Deus
E, como podem verificar, a primeira meta indica exactamente isso: "Conhecer-se a si mesma/o". É um dos pilares do trabalho de um Bruxo.

Para iniciar o processo de autoconhecimento costumo recomendar algo muito simples. Arranje um papel e escreva tudo o que sabe sobre si. Quem é, onde mora, onde nasceu, data de nascimento, hora de nascimento, nome, gostos, preferências, coisas que não gosta, momentos que marcaram, memórias importantes, defeitos, qualidades, medos, etc. Tudo o que se consiga lembrar. E leia, interiorize. Medite na informação que recolheu. Agora pense nas coisas que faz. Atitudes que tenha feito recentemente, boas e más. Discussões que teve, conflitos, festas, momentos felizes, momentos tristes, etc. Pense nas atitudes que teve, como reagiu, o que pensou. Aponte tudo isso e medite. Veja se essas atitudes coincidem com o que escreveu antes e com a imagem que tem de si. O que mudou? O que é diferente? Medite sobre isso. Medite sobre quem é. Só isto já será metade do percurso.

Posteriormente poderá consultar online ou através de bibliografia mais sobre o trabalho do Auto-conhecimento ou até do trabalho com a Sombra, participar em workshops ou cursos e melhorar cada vez mais. O mundo está ao seu alcance, basta esticar a mão.

0 comentários:

Enviar um comentário