Bem-Vindos. Sentem-se em volta da fogueira, peguem uma xícara de chá e comecemos a aprender os mistérios antigos e a desvendar segredos esquecidos.
Trilhem connosco a floresta sobre o olhar atento da Lua...

Novos artigos serão sempre publicados à segunda-feira e à sexta-feira.




segunda-feira, 21 de novembro de 2016

Dependência Mágica


A Magia é uma excelente ferramenta para o nosso dia-a-dia e tem formas de nos auxiliar em inúmeras formas seja através de Magia Natural, Magia de Cozinha, Magia Pop, Sigilos, etc. Há imensas formas de aplicar a Magia no nosso quotidiano e fazer com que ela nos ajude a conseguir entrevistas de emprego, manter as energias da nossa casa limpas, protecções para o carro ou para os filhos, etc. Mas a Magia também de pode tornar um vício e existir uma dependência dela, principalmente quando estamos a começar. Aliás já são antigas as frases "Moderação é a chave" e "Tudo o que é demais enjoa" e o mesmo pode ser aplicado à Magia.

A Magia pode ser usada para muita coisa mas também pode ser usada de forma abusiva e intensiva que acaba por se tornar pouco benéfica para o Bruxo e até tóxica. Falamos, por exemplo, do uso de Magia para coisas que podem facilmente e sem esforço ser feitas sem Magia. Vejo muitas vezes nas comunidades, principalmente por pessoas que estão a começar agora no Mundo da Magia e da Bruxaria, pedidos de feitiços para imensas coisas que podem ser feitas sem esforço. Feitiços para acabar com o próprio namorado, feitiço para ir em festas, feitiço para passar o ano, etc. Feitiços cujo uso é expressamente para facilitar algo por não quererem se esforçar. Este, na minha opinião pessoal, é um uso incorreto da Magia. Claro que devemos utilizar tudo o que está ao nosso alcance mas a Magia não fará tudo por nós. Ou seja, um exemplo prático: Temos prova na escola dentro de três meses. E uma semana antes fazemos um feitiço para passar mas não estudamos. Isto nem é produtivo nem útil. A escolha mais sábia nesta situação seria fazer um feitiço ou ritual para auxiliar a melhorar o período de estudo, aumentar a concentração, aumentar a capacidade de estudar, etc. Mas estudar! A Magia não é a chave dos problemas de todo o mundo nem nada que se pareça. É uma ferramenta para ajudar no nosso quotidiano porém o nosso esforço e trabalho é também importante, aliás, arriscaria dizer que é o mais importante de tudo!

Outro exemplo prático: Somos donos de uma loja que acabou de abrir e queremos que o negócio tenha sucesso e muitos clientes. Fazemos um feitiço ou oferenda ou rito para que tenhamos muitos clientes e muito dinheiro e abundância a entrar! Mas não fazemos produtos ou não temos os produtos bem expostos, raramente estamos na loja, não nos preocupamos com o cuidado ao cliente, etc. Sem estes esforços da nossa parte não existirá abundância! Claro que é legítimo fazer feitiços e ritos para ter prosperidade, abundância, para que os negócios tenham sucesso, etc. Aliás é recomendável. Mas isto requer da nossa parte dedicação de tempo e esforço para que tudo dê certo. A Magia só dá o empurrão final.

Um último exemplo: Imaginemos que vivemos num apartamento e começamos a ouvir barulhos durante a noite. E imediatamente decidimos fazer rituais para banir espíritos e para expulsar entidades negativas, etc. Mas nem nos lembramos de falar com os vizinhos e ver se o barulho vem de lá, falar com o condomínio ou senhorio ou até ir à janela! Podem ser os vizinhos a fazer barulho, problemas nos canos da água e até ratos! Existem mil e uma soluções práticas e realísticas antes de recorrer à Magia. Nem tudo é espíritos ou possessões.

A Magia é uma ferramenta maravilhosa principalmente para o dia-a-dia: Sigilos para protecção nas portas, sigilos para segurança rodoviária no carro, água consagrada para harmonia e amor em casa, cristais espalhados pela casa ou no local de trabalho para dar boosts energéticos, etc. Existem mil e um usos porém não podemos abusar de tudo. Ou seja não podemos querer que seja a Magia a fazer tudo por nós e a ultrapassar as nossas dificuldades. Temos de nos mexer, de agir, de enfrentar, de avançar, de ultrapassar tudo o que for preciso. Usando a Magia como ajuda ou como ferramenta tal como usaríamos outras ferramentas que temos naturalmente (capacidade de falar em público, audição aguçada, etc.).

O equilíbrio e controlo de si mesmo são características essenciais de um praticante de Bruxaria ou de Magia pois é esse controlo e equilíbrio que permite o correto controlo das energias. E esse controlo começa também pela forma como usamos a Magia e como beneficiamos dela com o seu quanto-baste essencial. Magia é fantástica e das melhores ferramentas ao nosso dispor... basta saber usá-la! 

0 comentários:

Enviar um comentário