Bruxaria e Saúde Mental

por - janeiro 14, 2021

Sei o que podem estar a pensar. Este pode parecer um tema meio estranho para ser abordado num blogue de Paganismo e Bruxaria. Acredito que muitos olham para o título deste artigo e questionam-se como a Bruxaria e a Saúde Mental podem estar relacionadas mas a verdade é que vivemos numa sociedade em que as estatísticas de ansiedade e depressão estão cada vez mais elevadas e cada vez mais, em nosso redor, vemos isso refletido na nossa realidade seja connosco próprios, com familiares, amigos, colegas de escola ou de trabalho ou até pessoas que conhecemos e vemos em redes sociais. Apesar destes números elevados existe ainda, infelizmente, muito estigma associado à saúde mental: há muito preconceito, informações incorretas e vergonha associada com estas situações. Mas não aqui. Não neste espaço. Este é um espaço seguro e neste espaço vamos falar abertamente destes assuntos.

Já abordei anteriormente o tema de Bruxaria e Ansiedade e recomendo quem quiser a dar uma leitura novamente nesse artigo porque acho que tem dicas bastante interessantes para quem lida com ansiedade (como eu) e pratica Bruxaria. Mas achei que estava na altura de voltarmos a falar de Saúde Mental, principalmente tendo em conta tudo o que temos enfrentado nestes últimos meses. Antes de começar a falar da Bruxaria e Saúde Mental queria deixar algumas informações que podem ser úteis para os nossos leitores: 

  • Não há problema em pedir ajuda. Não estão sozinhos. Estas são as Linhas de Crise em Portugal e este é o contacto do Centro de Valorização da Vida no Brasil. Seja com amigos ou com desconhecidos, não sofram em silêncio. 
  • Não há vergonha na Saúde Mental. Nem na ansiedade, nem na depressão, nem na BPD, nem em nenhum cenário. Não tenham vergonha porque não há motivo para isso. Se sentem que precisam, peçam ajuda. Falem com a família, professores, amigos, médicos, profissionais de saúde ou até com as linhas de apoio acima referidas. 
Abordando agora o assunto do artigo: A Bruxaria e a Saúde Mental

Não irei aqui falar de como gerir a prática da Bruxaria com ansiedade ou depressão (ou outros síndromes/transtornos e/ou distúrbios) porque não só já abordei esse tema anteriormente mas também porque esse tipo de gestão vai caber a cada praticante e ao devido acompanhamento que está a ter. Cada um sabe o que despoleta as suas crises, cada um sabe como funciona o próprio corpo e as suas necessidades e cada um conseguirá gerir, da melhor maneira, como fazer e orientar a sua prática e o caminho. 

Planeio abordar aqui sim, outro assunto que é sensível e que não é abordado o suficiente nas nossas comunidades e que, tenho noção, irei provavelmente ser criticada por o abordar. Contudo não posso deixar de acreditar que é o meu dever, como criadora de conteúdos, abordar este tema e dar destaque ao mesmo: não só porque é benefíco para as nossas comunidades num geral mas também porque é benefíco para todos os envolvidos. 

A Bruxaria/Paganismo não é uma cura milagrosa.

Sim, leram bem: A Bruxaria ou o Paganismo não vai curar qualquer transtorno/síndrome/distúrbio ou seja o que for (mental e fisíco) com o qual estejam a lidar. Se alguém vos disser o contrário, provavelmente, estará a mentir ou estará iludido com a realidade. A Bruxaria, o Paganismo e até a Magia podem ser excelentes ajudas no nosso dia-a-dia e das nossas vidas, contudo, não vão ser a solução ou o milagre que nos irá salvar da realidade em nosso redor. E isto aplica-se tanto à saúde mental como a nossa sáude física: Um feitiço não vai curar um osso partido, tal como não vai curar a depressão. 

Temos de parar de ver a saúde mental como sendo uma saúde inferior ou menos importante do que o resto dos campos médicos. A nossa saúde mental é tão importante como todos os outros aspectos do nosso corpo e, como tal, está sujeita ao mesmo cuidado e às mesmas leis que o resto do nosso corpo. A Magia não vai misticamente fazer desaparecer a nossa ansiedade, depressão ou qualquer outro problema que estejamos a enfrentar. 

Se pode ajudar? Sim, pode. Mas com responsabilidade e cuidado! Há que saber onde são os nossos limites pessoais e até onde podemos esticar a corda antes que ela rompa e na Bruxaria não é diferente. Claro que a Magia e a Bruxaria nos podem ajudar, tal como eu já falei no artigo da Bruxaria e Ansiedade, existem diversas práticas desde banhos, meditações, trabalho com cristais ou com ervas, trabalho devocional, etc que vão ajudar a melhorar o nosso bem-estar e a nossa saúde mental mas não vão fazer desaparecer por completo todos os nossos problemas. Em alguns casos será realmente necessário ajuda profissional: E não há mal nisso! Não há vergonha em precisar de terapia, temos de acabar com este estigma! Não há vergonha em recorrer a profissionais de saúde para lidar com a nossa saúde mental, tal como não há problema em recorrer a um médico de família quando temos uma gripe ou um osso deslocado. 

Outro assunto que devo realçar, e que vejo muito propagado nas redes sociais como o TikTok, Youtube e até Instagram é que o Shadow Work (ou trabalho com a Sombra) não vai curar as nossas depressões e apagar os nossos traumas. Quanto muito, poderá piorá-los. Sim, ouviram bem: 

Shadow Work (Trabalho com a Sombra) não cura traumas.

Pelo contrário. Ao estarmos a propagar esta narrativa que se temos problemas no nosso passado (traumas de infância, traumas de abusos, PTSD/CPTSD, etc) que conseguimos resolvê-los com sessões de trabalho com a Sombra em casa, sozinhos, estamos a fazer mais mal do que bem. O trabalho com a Sombra é um conceito da Psicologia junguiana, ou seja, é um conceito que veio de uma vertente da Psicologia e que veio a ser adoptada, mais recentemente, por vários caminhos dentro da Bruxaria e do Paganismo. Não há nenhum mal com o trabalho de Sombra, pelo contrário, mas a ideia de que o mesmo só pode ser feito no nosso lar, sozinhos, lidando com os nossos "demónios interiores" é errado! E tem de ser combatido nas nossas comunidades. Não podemos pedir a pessoas que têm traumas graves (seja violentos, psicológicos, causados por infâncias abusivas, por relações abusivas, etc.) que lidem com estas memórias e os seus respectivos efeitos secundários sozinhas! Isto não é saudável, isto não é sequer pensável. Não é preciso, nem deve ser feito, lidar com estas coisas sozinhas. Vou dizer algo que nem todos dizem mas: Ir ao psicológo/terapeuta É trabalho de Sombra. O trabalho de Sombra não precisa ser feito sozinho e não precisa de ser feito em casa. E quanto mais falarmos deste tema e alertamos para esta situação melhor, não só para nós mas como para os outros. 

Concluindo: A saúde mental não pode ser negligenciada nem pode ser considerada um tabú. Devemos falar abertamente de saúde mental e dos cuidados e das precauções e das ajudas que estão ao dispor de todos nós. Devemos incentivar o recurso a terapeutas e profissionais de saúde, devemos incentivar os cuidados próprios e a atenção especial que temos de dar ao nosso bem-estar e à nossa felicidade. Não podemos olhar para a Bruxaria, o Paganismo ou a Magia como curas milagrosas mas sim com companheiros do nosso caminho que nos podem ajudar a melhorar o dia-a-dia, mas não nos irão curar magicamente. E, por fim, não devemos aventurar-nos a lidar com as partes negras do nosso passado ou da nossa psique sem o devido apoio profissional, porque não há vergonha nenhuma em pedir ajuda. 

Obrigada o todos os que leram e sintam-se à vontade para partilhar recursos nos comentários! 

Crédito de Imagem: Unsplash (Christine Keller)

Também podes gostar

0 Comentários