Bem-Vindos. Sentem-se em volta da fogueira, peguem uma xícara de chá e comecemos a aprender os mistérios antigos e a desvendar segredos esquecidos.
Trilhem connosco a floresta sobre o olhar atento da Lua...

Novos artigos serão sempre publicados à segunda-feira e à sexta-feira.




sexta-feira, 17 de junho de 2016

Doreen Valiente

Doreen Edith Dominy, nascida a 4 de Janeiro de 1922, em Mitcham no Sul de Londres. Doreen cresceu no Oeste de Inglaterra que é famoso pela sua dedicação ao rural e ainda hoje se vêm restos de culturas pagãs, como os dançarinos de folk, os poços de desejos e outras actividades.

Pouco se conhece sobre o inicio da sua a vida, a não ser uma pequena curiosidade. Doreen divirtia-se a brincar sozinha num jogo curioso: subir e descer a rua montada na vassoura. O motivo? Nunca se soube. Apenas que os seus pais temiam que se tornasse uma bruxa (os pais de Doreen, Harry e Edith, eram extremamente religiosos e condenavam a Bruxaria).

Nos seus anos de adolescente, Doreen vivia em New Forest e foi aqui que começou a desenvolver uma tendência para a Magia. Sabe-se que com 13 anos, fez um feitiço para ajudar a sua mãe num problema de assédio no trabalho. Espantosamente o feitiço resultou e Doreen foi enviada para um Convento Cristão, do qual saiu com 15 anos com o intuito de nunca lá voltar.

Em 1941 Doreen casou pela primeira com Joanis Vlachopoulos, porém cerca de 6 meses depois, Joanis foi dado como morto.

Mais tarde, em 1944, Doreen voltou a casar com Casimiro Valiente (do qual obteve o seu apelido/sobrenome) e mudou assim o seu nome e nacionalidade (passou a ter nacionalidade espanhola).

No Verão de 1952, Doreen Valiente conheceu uma mulher cujo nome (pseudónimo claro, afinal de contas a lei que fazia da Bruxaria crime, tinha sido abolida apenas um ano antes) era Dafo. Dafo tinha iniciado Gardner e era um membro importante no Coven New Forest. Numa ocasião, em 1952, Dafo apresentou Doreen a Gardner e aqui começou o caminho de Doreen Valiente na Wicca. Apenas um ano depois, Doreen foi iniciada por Gardner e veio a tornar-se a sua Alta-Sacerdotisa.

Gardner usou o seu Livro das Sombras desde 1953 até conhecer Doreen, afirmando sempre que o seu conteúdo era tirado das tradições do New Forest Coven. Doreen porém, ao ler o Livro das Sombras, reconheceu citações de Aleister Crowley. Quando confrontado, Gardner afirmou que devido à falta de algumas informações, em alguns lugares, ele teve de preencher da forma que achou melhor. Gardner nessa altura perguntou para Valiente: “Consegues fazer melhor?” e realmente, ela fez. Doreen Valiente reescreveu muito do Livro das Sombras, dando um toque especial e fazendo as coisas mais coerentes, dando origem à Wicca que conhecemos hoje.

Porém Gardner tinha um gosto pelo spotlight e a sua constante vontade de falar com jornalistas, deixou Doreen preocupada que ele estivesse a colocar a integridade do coven em risco. Portanto, foram criadas as “Proposed Rules for the Craft”. Porém Gardner a isto respondeu, dizendo que já existiam Leis. E então enviou para os membros as "Leis Wiccans". Doreen não acreditou que estas Leis fossem verdade nem gostou delas (tiravam poderes e denegriam a imagem da Alta-Sacerdotisa), afastando-se assim de Gardner cortando relações. Alguns anos depois, voltaram a falar, mas nunca como antes.

Doreen continuou a praticar, sempre com discrição e sem gostar de publicidade, ao contrário de Gardner. Um dos motivos para esta discrição era o facto da sua mãe não saber do seu caminho. Como já referi os pais de Doreen eram muito religiosos.

Com a morte de Gardner da sua mãe no ano de 1964, Doreen deitou para trás o seu Gardnerianismo e seguiu caminho para se juntar a Robert Cochrane num caminho tradicionalista da Bruxaria.

Em 1960 começaram as revoluções. Revolução Sexual, Contraceptivos, Inovações, Direitos… E a Bruxaria não foi uma excepção. Pessoas como o Alex Sanders e Sybil Leek tornaram-se famosos mostrando-se ao Mundo. Porém, outros wiccanos preferiam manter-se no secretismo.

Quanto a Doreen, ela tomava um caminho mais no meio desses dois. Ela não negava a sua religião e vinha em ajuda do Paganismo e da Bruxaria sempre que necessário mas ao mesmo tempo, mantinha-se discreta.

A iniciação com Cochrane apenas ajudou a este factor, mantendo-a longe dos problemas políticos que surgiam em volta da Wicca Gardneriana.

Porém esta associação com Cochrane não durou muito tempo. Doreen rapidamente se apercebeu da tendência de Cochrane para as poções mágicas que o levariam a ter um fim infeliz em Litha de 1966.

Na década de 70, a sua vida mudou de forma dramática. Logo em Abril o seu marido, Casimiro, faleceu. Nas palavras de Doreen Valiente, ao sentir-se sozinha ela decidiu focar-se na escrita de livros. “ABC of Witcraft”, em 1973, e “Natural Magic" em 1975, tornaram-na numa autoridade quanto à Wicca e à magia.

 A década de 1980 foi dedicada à busca por Old Dorothy. Gardner afirmou que foi iniciado por Old Dorothy, em 1939. Em 1980 um historiador chamado de Jeffrey B. Russell afirmou que Gardner teria inventado essa pessoa. Doreen, tentando mostrar o contrário, iniciou uma busca por Old Dorothy, que a acabaria na descoberta da certidão de nascimento de Old Dorothy Clutterbuck em 1982.

A sua última década de vida, foi dedicada às comunidades pagãs, escrevendo livros e dando palestras, ajudando a Wicca, e os valores da Era de Aquário, a desenvolverem. Porém, um dos medos de Doreen era o facto de os charlatães estarem a aumentar. Como tal, quando confrontada com a ideia de criar o Center for Pagan Studies, um centro dedicada ao ensino do Paganismo, Doreen aceitou e tornou-se a Matrona do local.

Apesar do seu último ano de vida ter sido recheado de problemas a níveis físicos, de nenhuma forma isto afectou a sua mentalidade e capacidade a nível mágico. Doreen manteve-se uma mulher poderosa e sábia até ao fim da sua vida.

Nos seus últimos dias de vida, Doreen foi colocada num lar. Ela sofria de diversos problemas de saúde, sendo cancro o principal. Os amigos mantiveram-se ao lado dela o tempo todo até ao dia da sua morte. A 1 de Setembro de 1999, precisamente às 6:55 da madrugada, Doreen partiu rumo à Terra do Sol.

Todas as posses mágicas foram deixadas na mão de John (Dagda). Um dos seus últimos desejos foi que os seus poemas fossem publicados ao Mundo. Esses poemas encontram-se hoje num livro chamado de “Charge of the Goddess”, juntamente com memórias dos seus amigos e artefactos.

"And thou who thinkest to seek for me, know thy seeking and yearning shall avail thee not, unless thou know this mystery:

that if that which thou seekest thou findest not within thee, thou wilt never find it without thee.

For behold, I have been with thee from the beginning; and I am that which is attained at the end of desire."

- Charge of the Goddess by Doreen Valiente

0 comentários:

Enviar um comentário